O gato da minha placa 4


placa-post-costa

Dizem que os gatos e os elefantes vão para longe quando sabem que vão morrer. Minha mãe tinha dois gatos. Um deles, o Tom, fez as malas e partiu sem se despedir.

Após uma semana a vizinha Bárbara ofereceu o “Mike“. A Neguinha, a outra gatinha da minha mãe, não gostou dele.

Então fui acionado:

Ru, você pode ficar com ele por uns dias e trazê-lo aos poucos para a Neguinha se acostumar?

Confesso que não gostei muito dele no início pois tinha jeito de gato de madame. Cara de bonzinho, sabe? E eu prefiro os gatos malandros.

IMG_61822

O Mike estava com uns 2 meses de vida e ao ouvirmos seu primeiro miado ele foi rebatizado como Costinha.

408219_114785625335623_82631703_n

Quando o meu irmão arrastou uma fita de cetim e foi atacado pelo Costa, percebi que o gato era esperto. E ali foi o início de uma linda história de amor.

2012.04.13 adolescente

O Costa é manso, brincalhão e carinhoso. Dizem também que ele é bonito, mas eu não concordo. Tornou-se um gato adulto de beleza comum.

2015.11.29 Book

Não tem quem não goste dele. Até quem não gosta de gato acaba gostando do Costinha. Ele vai no colo de todo mundo, corre atrás da bolinha e do ratinho de pano, luta, salta, ataca e morde de brincadeira. É um gato perfeito!

2014-11-04

Pensei em levá-lo, mas não seria justo.

O Costa ficaria preso o tempo todo, se assustaria com todo o barulho das estradas e ainda poderia acabar sendo atropelado – o que acabaria com ele e comigo.

O Costa ficou com um amigo que gosta muito de gatos. E e eu parti, também sem me despedir. Tal como os gatos e os elefantes…

Até breve, meu peludo! S2


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 thoughts on “O gato da minha placa