Penha 2


Dizem que a infância é como uma espada fincada na garganta…

Pedalei 90km a partir de Joinville. Duas cenas bem comuns nas estradas da região:

Paisagens belíssimas

 

E lojas de toalhas

E lojas de toalhas

Cheguei a Penha, a cidade do Beto Carrero World e também de um casal que conheço há tempos.

Ele é meu amigo desde criança, é músico, produtor musical e nasceu em Duartina, onde viviam os meus avós Adalberto e Irahy. O Guto sempre foi o mais inteligente da turma, na minha opinião. O raciocínio dele é muito rápido e constantemente utilizado para o bom humor.

Ela é de Avaré, faz o melhor feijão de Penha, trabalha no Beto Carrero World e é extremamente paciente. A Gabi cresceu na cadeia – seu pai era diretor de uma penitenciária e sua casa se localizava dentro dos limites desse parque. Imagina que infância pouco tradicional?

Eles dividem a casa com um casal de cachorros. O macho só come ração quando alguém está olhando e não larga por nada uma bolinha amarela de borracha. Noutro dia foi latir na casa de um cachorro vizinho e mesmo assim levou a bolinha. A fêmea é ciumenta de tudo.

Essa visita de 3 dias foi muito agradável. Relembramos muitas histórias, rimos demais, fomos à praia durante a noite (não conseguimos ver nada) e pude aproveitar esse grande prazer que é estar com amigos verdadeiros.

Para compensar a minha estadia, fui obrigado a limpar a caixa de gordura da casa e a lavar a louça em todas as refeições – além de pagar a pizza. Coisas de amigos 😉

Quando me despedi, o Guto usava óculos escuros – desconfio de lágrimas por trás deles.

Muito obrigado e pé na estrada para Blumenau!


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 thoughts on “Penha